terça-feira, 31 de agosto de 2010

Benefícios do Chá Branco


O chá branco possui muitos benefícios ao nosso organismo, tanto em relação à prevenção de doenças como na recuperação e manutenção da saúde. Assim como o chá verde, vermelho e o preto, o chá branco é retirado da planta Camellia sinensis de maneira diferenciada dos demais, ou seja, é uma infusão com folhas jovens desta planta e que não sofreram efeitos de oxidação (presença do ar), os botões podem estar protegidos da luz solar para evitar a formação de clorofila. O seu preparo é feito através do cozimento das folhas e brotos por um processo de vaporização sem inserir nenhum tipo de fermentação e após este processo então é levado à secagem. Como se percebe, o processamento do chá é bastante simples, o que lhe mantém as propriedades relacionadas à saúde e qualidade de vida, tendo seus efeitos mais visíveis na perda de peso.


O chá branco possui vitamina B, C, K, cafeína, antioxidantes, manganês, potássio e ácido fólico. A partir desses nutrientes, o chá branco pode neutralizar a ação dos radicais livres sobre as células, acelerar o metabolismo, desintoxicar o organismo, queimar gorduras, diminuir o mau colesterol (LDL) e ainda inibir alterações nas células que são as principais causas do câncer.


Este tipo de chá por ser feito apenas com plantas verdes, confere um valor econômico acima das demais espécies de chás, pois como é retirado da planta ainda verde é produzido somente uma vez ao ano. O chá branco deve ser ingerido logo após a sua imersão em água quente, pois o ar retira as propriedades do mesmo. É importante que seu consumo não seja exagerado, pois o seu alto teor de cafeína, que é um estimulante, pode provocar irritabilidade, e insônia, devendo evitar o consumo freqüente.


Além dos benefícios já citados, o chá branco contém propriedades que ultrapassam o chá verde na prevenção do câncer e maior quantidade de antioxidantes que outros chás. Em experiências feitas por investigadores do Linus Pauling Institute da Universidade do Estado de Oregon, ao testarem as capacidades dos dois tipos de chá em prevenir o desenvolvimento dos pólipos do cólon, o chá branco revelou-se 10% mais eficaz. Entre todos os chás, o branco é o que apresenta maior concentração de polifenóis, entre outros antioxidantes. Essas substâncias ajudam a neutralizar os radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento celular.

Por isso aproveite seus benefícios com moderação, sempre aliando a uma alimentação saudável.

O chá branco com gengibre acelera metabolismo e ajuda na redução do peso

Ingredientes
2 xíc. (chá) de água filtrada
1 pedaço pequeno de gengibre (sem casca)
1 col. (sobremesa) de chá branco

Modo de fazer

Ferva a água com o gengibre. Desligue o fogo, acrescente o chá branco e abafe por 5 minutos. Coe e beba em seguida. Guarde o restante numa garrafa térmica para o chá não perder as propriedades terapêuticas.
Rende: 2 xícaras
Calorias: 4
dicasdenutricao.com

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Mexa-se!!! Exercício também mata a fome

O benefício das atividades físicas para a sua silhueta está longe de se limitar à queima de calorias. Pesquisadores da Unicamp revelam que a prática de exercícios pode também controlar a sensação de saciedade.

Academia não rima com pizzaria. Não no dicionário do clínico geral José Barreto Carvalheira, professor da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Carvalheira é o líder do grupo de 17 cientistas brasileiros que mostrou pela primeira vez uma associação entre a prática de exercícios e o controle da saciedade.

Um estudo publicado pela equipe brasileira esta semana no periódico PLoS Biology revela que as atividades físicas funcionam como um mecanismo de estabilização do organismo, que inibe o apetite nos indivíduos que estão acima do peso ideal. “As pessoas acham que exercício só queima caloria, mas conseguimos tirar o foco disso”, conta Carvalheira à CH On-line.

A prática de exercícios reverte a resistência do hipotálamo aos hormônios que controlam o apetite

A ideia da pesquisa foi sugerida por Eduardo Ropelle, que se formara em educação física pela PUC de Campinas e estava prestes a iniciar o mestrado em clínica médica na Unicamp. Ropelle queria ligar os dois campos aos quais se dedicava e, ao conhecer o laboratório de controle de ingestão alimentar de Carvalheira, decidiu investigar a ligação entre a sensação de fome e o exercício físico.

Cinco anos depois, Ropelle, agora doutor em fisiopatologia médica e professor da Unicamp, tem uma resposta para sua questão inicial. Os estudos desenvolvidos por sua equipe mostraram que a prática de atividades físicas reverte a resistência aos hormônios que controlam nosso apetite causada pela superalimentação.

A superalimentação no cérebro

Nos indivíduos que comem além da conta, o hipotálamo – região do cérebro que determina processos metabólicos – cria resistência aos hormônios insulina e leptina, cujo papel é nos informar quando estamos saciados. Essa falta de sensibilidade se deve a uma inflamação causada pelo consumo excessivo de gordura.

E é justamente nesse ponto que as atividades físicas entram em ação, segundo os cientistas brasileiros. A contração dos músculos característica da prática de exercícios libera uma proteína (IL 6) no sistema nervoso central que, agindo indiretamente por um complexo caminho bioquímico, acaba por inibir a inflamação do hipotálamo.

Com isso, o hipotálamo recupera a sensibilidade à insulina e à leptina, o cérebro volta a entender a mensagem de saciedade e inibe nosso apetite com eficácia. Ou seja, o exercício não funciona exatamente como um inibidor de apetite, mas como um estabilizador da gestão de alimentos.

Tratamentos em perspectiva?

Os resultados do estudo brasileiro são importantes para o entendimento dos distúrbios de sobrepeso, que afetam mais de 1,6 bilhão de adultos no mundo, de acordo com dados de 2005 da Organização Mundial da Saúde (OMS) – o número pode chegar a 2,3 bilhões de indivíduos em 2015. No Brasil, a gravidade do problema não passa despercebida: 43% da população adulta está acima do peso e 13% é obesa.

Mas ainda é cedo para pensarmos em um tratamento para a obesidade derivado dessa descoberta. As conclusões dos pesquisadores da Unicamp foram tiradas a partir da observação de ratos de laboratório obesos e magros, que faziam exercícios constantes de corrida e natação. Foi usada também a injeção da proteína IL 6 sintética para simular a prática de exercícios nos roedores, o que restabeleceu satisfatoriamente o controle da saciedade dos animais.

É cedo para pensarmos em um tratamento para a obesidade derivado dessa descoberta

Carvalheira é reticente em relação à aplicação desse método em humanos. “É complicado introduzir a IL 6 no organismo, porque ela tem uma função dupla: pode ser pró-inflamatória, se injetada na corrente sanguínea, ou antiinflamatória, se aplicada no sistema nervoso central”, explica o clínico. “Não há por enquanto uma droga claramente desenhada para reproduzir o exercício com a injeção no sistema nervoso central direto.”

Seja como for, os resultados do estudo publicado esta semana abrem as portas para a pesquisa de tratamentos inspirados nessa descoberta. “É difícil ainda saber em que tipo de tratamento essa descoberta vai dar realmente”, avalia Carvalheira. “Estamos descrevendo um mecanismo para ser estudado”.

cienciahoje.uol.com.br

domingo, 29 de agosto de 2010

Circuito das Estações Adidas - 10 km Eu Consegui!



O Circuito das Estações Adidas é hoje um dos maiores e mais importantes circuitos de corridas do País.
Em 2010, o circuito entra em seu 5º ano. Serão mais de 200 mil atletas em 28 etapas, realizadas em sete capitais brasileiras.
Todo corredor tem uma meta. Depois de realizar 16 circuitos de corrida em percurso de 5 km de 1 circuito de 8km, hoje superei um desafio pessoal de correr 10 km.
Com muita dedicação nos treinos, na alimentação e respeitando horário de sono, eu consegui!!!!! Cumpri minha meta de correr e concluir os 10km.
Agora é "namorar" a São Silvestre, eu quero!!!!!

sábado, 28 de agosto de 2010

Fome de chocolate no Final de Semana ?

Quando você não tem o que fazer, ou após um episódio estressante, você sente vontade de devorar uma caixa inteira de chocolates? Saiba que não é a única pessoa a sentir tal desejo. E existem explicações científicas para tal. A diferença está entre aquelas que colocam em prática a gulodice e as que esperam a vontade passar.

O ócio e emoções como insegurança, ansiedade e depressão geram um descompasso bioquímico no sistema nervoso central que provoca alterações no apetite. Ou seja, os componentes cerebrais responsáveis pela variação de humor são capazes de disparar o gatilho para a fome emocional (que nada tem a ver com a fome por necessidade física de mais energia).

Como a maioria das pessoas faz uma associação subjetiva entre comida e sentimentos como alívio e prazer, se empanturrar com uma caixa de bombons é uma forma de compensar o desgaste provocado por algo ruim ou ocupar o tempo.

As mulheres são 25% mais propensas a comer em excesso por fome emocional do que os homens. Para não pôr em risco a dieta (e a saúde) é preciso estar atento a essas armadilhas do organismo - e não cair nelas. Uma dica da psicóloga americana Judith Beck, autora do livro Pense Magro, é contar até 20.

Mas não são 20 segundos, são 20 minutos! Nesse espaço de tempo, segundo a autora, uma pessoa está mais suscetível aos pedidos do cérebro. Se puder resistir à tentação de comer por esse tempo, a urgência por doces irá sumir. E a culpa não virá depois.

Vida Saudável

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Receita para não perder o foco no Final de Semana


As vésperas do final de semana, a dica é culinária!

Entendo que ao quebrar a rotina diária, há também a vontade de comer alimentos diferentes, que saiam do trivial. Porem sempre questiono sobre a necessidade de vincular a “quebra da rotina” com “alimentos gordurosos e calóricos”.

O segredo daqueles que conseguem manter a saúde sem o conhecido “efeito sanfona” é saber escolher preparações saborosas e nutritivas mantendo o prazer em comer sem abrir mão do bem estar.

Risotos, por exemplo, são tradicionalmente calóricos e ricos em gorduras, principalmente as saturadas, prejudiciais à saúde, devido à grande quantidade de manteiga e queijo parmesão presentes na receita. O uso de ingredientes adequados e técnicas culinárias corretas permitem que esse saboroso prato mantenha seu incomparável sabor, sem perder o cuidado com a saúde.


As principais mudanças feitas no risoto tradicional para que fique mais leve e saudável são:

Arroz: utilize sempre o arbóreo. Há outros tipos de arroz para risoto, mas o arbóreo é o que contem maior teor de amilopectina, um amido que se solta durante o cozimento e agitação dos grãos, conferindo maior cremosidade do que os demais tipos.

Manteiga: substitua pelo azeite de oliva, óleo rico em gordura monoinsaturada com bastante aroma que agrega sabor e qualidade à preparação. Embora seja uma gordura saudável, a quantidade utilizada deve ser suficiente para refogar a cebola, o arroz e outros ingredientes.

Queijo parmesão: troque pela ricota defumada e ricota fresca, queijo mussarela light ou requeijão light queijos com menor teor de gordura que contribuem com o aumento do sabor e parte da cremosidade.


Dica: A ricota defumada pronta tem um aroma muito marcante, podendo “roubar” o sabor de todos os outros ingredientes. Quando utilizá-la, mescle com ricota fresca.

O grande segredo do risoto balanceado é explorar a cremosidade do arroz durante seu cozimento. Assim, a escolha de um produto de qualidade e a constante agitação dos grãos, mexendo o tempo todo, é fundamental para a produção de um risoto saboroso e nutritivo.

Bom apetite!


Risoto de Abobrinha

Ingredientes:

- 4 abobrinhas pequenas fatiadas

- ½ cebola picada (35g)

- 4 colheres de sopa de azeite de oliva (30ml)

- 4 xícaras de chá de arroz para risoto (380g)

- ¾ xícara de chá de vinho branco seco (100ml)

- 4 colheres de sobremesa de queijo mussarela

light ralado (80g)

- caldo de legumes em quantidade suficiente

- alho picado a gosto

- salsinha picada a gosto

- sal a gosto

- pimenta do reino branca a gosto

Modo de Preparo:

1. Em uma panela, colocar o azeite e fritar a cebola, o alho e a abobrinha em rodelas até ficar dourada. Acrescentar o arroz e refogar. Adicionar o vinho e deixar evaporar.

2. Acrescentar o caldo de legumes pouco a pouco, sempre mexendo, até que o arroz esteja al dente e cremoso. Ajustar o sal.

3. Fora do fogo, acrescentar o queijo mussarela light, a pimenta do reino e a salsinha.

4. Servir.

Tempo de preparo: 40 min

Rendimento: 6 porções

Valor Nutricional por porção:

Caloria: 303 kcal

Carboidrato: 67% (51g)

Proteína: 11% (9g)

Gordura: 22% (7g)

Blog nutritips

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Funções e tipos de carboidratos

Falando de uma maneira simples os carboidratos são a fonte de combustível do corpo. São as fontes primárias de energia utilizadas pelos músculos e pelo cérebro durante todo o tempo e, principalmente, durante as atividades físicas.

Os carboidratos são também chamados de hidratos de carbono, pois são compostos orgânicos que contém carbono, hidrogênio e oxigênio. Outro termo para carboidratos é glicídeos. Esses nutrientes são encontrados em diversos alimentos e são diversos os tipos existentes. Os tipos de carboidratos são: simples e complexos.

Carboidratos Simples

São chamados de açúcares e são monossacarídeos ou dissacarídeos. Normalmente são encontrados em doces e açúcares, entretanto, também estão presentes em frutas, hortaliças e no leite. Os monossacarídeos mais comuns são a glicose, frutose e a galactose.

O primeiro (glicose) é muito presente nas frutas e também é chamada de dextrose, enquanto a frutose é conhecida como açúcar de frutas, pois também está muito presente nelas. A galactose é um monossacarídeo encontrado no leite, fazendo parte da lactose (açúcar do leite).

A partir da combinação de dois monossacarídeos é que surge um dissacarídeo. O grupo dos dissacarídeos incluem a maltose (açúcar do malte), a sacarose (açúcar da cana) e a lactose (açúcar do leite).

É interessante observar que as frutas contém diferentes tipos de açúcares e que todos eles precisam ser transformados em glicose antes de serem utilizados como energia pelo organismo. Quando ingeridos carboidratos simples, estes são rapidamente digeridos, diminuindo o período de saciedade, ou seja, a pessoa sente fome mais rapidamente.

Carboidratos Complexos

Esses são considerados complexos porque são formados quando três ou mais moléculas de glicose se combinam, dando origem a um polissacarídeo. Dois exemplos típicos de polissacarídeos são o amido (das plantas) e o glicogênio (presente nos músculos e fígado). A maltodextrina é um carboidrato muito utilizado pelos atletas como repositor energético e trata-se de um preparado extraído do amido.

Esses carboidratos por serem complexos são mais lentamente digeridos, o que prolonga o período de saciedade, fazendo a pessoa sentir fome em intervalos maiores de tempo.
Lembre-se que os carboidratos são indispensáveis na dieta, seja atleta, praticante de atividades físicas ou sedentário. Esses devem constituir de 50 a 60% da ingestão calórica total diária. E cada grama de carboidrato ingerido fornece 4 calorias.

www.alimentacao-saudavel.com

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Dieta Não! Reeducação Alimentar

Antes de falarmos da Reeducação Alimentar, quero informar que a nossa amiga de Blog Mili tem nos proporcionado entrevistas chamadas: "O Poder da Tranformação", aborda histórias reais de superação, determinação e força de vontade no processo de reeducação alimentar. Estou muito emocionada e feliz em poder compartilhar minha história com vocês, acessem http://aqueleemquetudocomecou.blogspot.com
Obrigada Mili pela oportunidade de mostrar minha história, espero motivar muitas outras pessoas, obrigada a todos pelo carinho, isso mostra que todo esforço vale a pena!


Viver de olho em rótulos não é a melhor forma de emagrecer. Confira 10 dicas que realmente ajudam

Mais importante do que enlouquecer somando calorias aqui e acolá, é reeducar os hábitos alimentares. A seguir, confira 10 dicas para abolir a calculadora mental e, ainda assim, ver o ponteiro da balança cair. Os resultados podem até demorar um pouquinho a aparecer, mas uma coisa é certa: o efeito sanfona ficará no passado.

Dê-se tempo para comer

Quem costuma “engolir” as refeições em pouquíssimos minutos precisa desacelerar, pois esse comportamento é um grande inimigo da boa forma. “Durante a mastigação, os hormônios presentes no estômago enviam para o cérebro a informação de que estamos ficando saciados. Mas, se comemos rapidamente, não dá tempo da mensagem ser transmitida”, explica Heloísa Magalhães, nutricionista do Conselho Regional de Nutricionistas de Minas Gerais.

Para não cair na cilada, preste atenção nos alimentos e mastigue-os com muita calma. Uma boa maneira de evitar os impulsos de pressa é repousar os talheres sobre a mesa a cada garfada. De acordo com a nutricionista mineira, 20 minutos é um bom tempo para realizar as grandes refeições.

Evite banir alimentos

Para dar certo, uma dieta equilibrada não pode ser sinônimo de sofrimento. Sendo assim, ninguém precisa extinguir chocolate do cardápio. Basta entender que itens como esse devem ser consumidos com critério e moderação.

De acordo com a nutricionista Solange de Oliveira Saavedra, do Conselho Regional de Nutricionistas da 3ª Região (MS/SP), “impor muitas restrições a quem quer perder peso poderá levar o processo de emagrecimento ao fracasso. É preciso ter em mente que o emagrecimento deve seguir ‘casado’ com a reeducação alimentar”.

Além de não serem efetivas, dietas radicais prejudicam a saúde. Todos os nutrientes são essenciais ao organismo. Para se ter ideia, é preciso ter um pouco de gordura no corpo para que ele consiga absorver as vitaminas dos grupos A, D, E e K.

Não parcele a refeição

Essa dica é importante principalmente para quem faz as refeições fora de casa, já que os pratos dos restaurantes são bem avantajados. “Para não exagerar, uma boa é abandonar o hábito de comer primeiro a salada. Isso porque na hora de escolher os alimentos quentes fica difícil se contentar com pequenas porções, ainda mais quando há muito espaço vazio no prato!”, diz Heloísa. O ideal, sugere a especialista, é colocar muita salada em um canto do prato e, no outro, as porções limitadas de arroz, feijão, carne, legumes, etc. Assim, tem-se a impressão de que a refeição é robusta, mesmo que a maior parte dela seja composta por itens leves.

Capriche no café da manhã

Essa é uma das principais refeições do dia e ignorá-la pode resultar em problemas. Um dos mais sérios é a hipoglicemia, quadro caracterizado pela baixa concentração de glicose no sangue. “Essa situação pode gerar fraqueza, tontura e até desmaios”, conta a nutricionista Solange Saavedra.

Além disso, ficar em jejum não é nada benéfico para quem deseja reduzir ou controlar o peso: “Depois de passar a manhã inteira sem comer, a fome é tão grande que se torna difícil selecionar os alimentos com critério nas próximas refeições”, avalia Heloísa.

A fisioterapeuta Laís Cardoso de Oliveira, 23 anos, concorda: “graças ao café da manhã não chego faminta ao almoço e nem passo mal”. Para ela, comer de manhã está bem longe de ser uma obrigação, pois o hábito é cultivado desde criancinha, por influência dos pais.

“Todo dia de manhã como um pão com margarina ou requeijão, queijo branco, uma fruta e tomo suco ou chá. Às vezes, substituo o queijo branco por um iogurte”, descreve a fisioterapeuta. Depois de três horas, quando a fome aparece novamente, Laís investe em uma fruta, um iogurte ou uma fatia de pão com queijo branco, tomate e requeijão.

Entenda a fome e por que ela acontece

Que atire o primeiro garfo quem nunca decidiu repetir a refeição por causa da aparência incrível de um alimento. Pois saiba que isso é gula, e não fome. “Os mecanismos da fome e da saciedade são diferentes e bem complexos. Tudo começa no estômago, que também tem como função regular o apetite. Quando ele fica vazio e libera grelina, um hormônio que atua no cérebro estimulando a sensação de fome. Ao ingerimos alimentos, o estômago se distende e a produção de grelina diminui, levando à saciedade”, descreve Solange Saavedra.

Então, antes de sair devorando tudo o que encontra na cozinha tente lembrar quando foi a última vez que se alimentou. Talvez descubra que não está com fome, e sim com vontade de comer. Nesse caso, o melhor é mudar o foco – ler um livro e passear com o cachorro são ótimas estratégias.

Reconheça a saciedade

Como já foi dito, ela avisa quando chega. O problema é que muitas pessoas não conseguem percebê-la. Uma maneira de mudar isso é dificultando o contato com as tentações. “Deixe as panelas no fogão e não na mesa. Dessa forma não continuará beliscando depois de satisfeita”, recomenda a nutricionista Heloísa Magalhães. Ficar batendo papo na cozinha também pode ser prejudicial, já que a tendência é comer sem se dar conta.

Escolha melhor o que come

Mais importante do que contar calorias é escolher corretamente alimentos de vários grupos. Assim, garante-se uma alimentação saudável, mesmo que seja para perder peso. Como não existe alimento completo, costuma-se usar a pirâmide alimentar para basear as quantidades que se deve consumir de cada grupo por dia. Na base da pirâmide estão as fontes de carboidratos complexos, como cereais, raízes e tubérculos, massas e pães; no segundo andar, as hortaliças e frutas; no terceiro, leite e derivados, carnes, ovos e leguminosas e, por fim, no quarto nível, estão óleos, gorduras, açúcares e doces.

Cheque seu humor antes de comer

Em momentos de crise ou euforia, muitas pessoas se descontrolam e acabam abusando de alimentos nada saudáveis. O comportamento é compreensível, já que a alimentação é uma fonte fácil de prazer. O problema é quando a sensação de plenitude emocional só é alcançada depois de um banquete. “Aí é sinal de que a comida é mais do que fonte de energia e prazer: trata-se de uma válvula de escape emocional. Nesses casos, é interessante contar também com a ajuda de um psicólogo”, diz a nutricionista mineira Heloísa Magalhães.

Coma pouco várias vezes ao dia

Alimentar-se a cada três horas é uma das regras de ouro do emagrecimento saudável. Afinal, não dá oportunidade para a sensação de fome aparecer, reduzindo as chances de descontrole à mesa. “São porções menores, mas que ajudam a manter a saciedade”, diz Solange. Vale lembrar que esse hábito também ajuda o metabolismo a permanecer acelerado, o que favorece a queima de calorias extras.

Não coma vendo TV, lendo ou falando ao telefone

Qualquer atividade que tire as atenções do prato de comida deve ser evitada, pois quando não há consciência do que está sendo ingerido são grandes as chances de exagerar ou voltar a comer em poucas horas. Até os sabores dos pratos se perdem quando os sentidos não estão concentrados na alimentação. Isso certamente aumenta o risco de comer além da conta.

delas.ig.com.br

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Você não emagrece por causa do metabolismo? Veja mitos e verdades.

Muita gente atribui ao metabolismo lento a dificuldade de perder peso. Mas será que faz sentido? Fernando Menegat Kuhn, endocrinologista, especialista em obesidade, de Caxias do Sul, esclarece o que é mito e o que é verdade.

Não consigo emagrecer porque meu metabolismo é lento.
MITO.
Na maioria dos casos, essa é uma desculpa para o fracasso da dieta. Só uma pequena porcentagem de pacientes têm problemas orgânicos. Voracidade alimentar, sedentarismo e uso de medicações antidepressivas são as causas mais frequentes da obesidade. A dificuldade não está no organismo emagrecer, mas em mudar hábitos, fazer o que é preciso para emagrecer. São coisas diferentes.

Eu como pouco, mas não consigo emagrecer.
MITO
. A não ser em raros casos de distúrbios, a pessoa não emagrece quando ingere mais calorias do que gasta. Às vezes, o problema não está na quantidade de comida ingerida, mas na quantidade de calorias da comida colocada no prato. Emagrecer é uma equação matemática. Para perder um quilo em uma semana é necessário haver um déficit de aproximadamente 1 mil calorias ao dia: 7 mil calorias/semana. Pode-se conseguir isso reduzindo 700 calorias pela dieta e queimando 300 calorias pelo exercício, o que vai dar 1 mil calorias/dia.

Pessoas com tendência a engordar nunca serão magras.
MITO
. Não é uma regra imutável. Depende de mudança de hábitos (alimentares e prática de exercícios) e de perseverança nessa mudança do modo de viver. Quanto maior o grau de obesidade mais difícil é a transformação. Estudos apontam que a tendência a voltar a maus hábitos aumenta na proporção direta do aumento do IMC (Índice de Massa Corporal).

Os magros têm o metabolismo mais acelerado do que os gordos.
DEPENDE
. Há pacientes que têm resistência à ação da insulina e podem ter mais dificuldade para emagrecer. Para descobrir essa resistência, é preciso fazer um exame com glicose/insulina e calcular o HOMA (Avaliação Dahomeostase Metabólica). A herança genética também tem importância (familiares magros ou obesos). Mas, em geral, são os maus hábitos que influenciam a obesidade e diferenciam gordos e magros.

O metabolismo do homem é mais acelerado do que o da mulher.
SIM.
A diferença de massa muscular entre os sexos é que determina o ritmo do metabolismo. Os homens possuem 8% a mais de massa muscular do que as mulheres. Os músculos consomem mais energia do que a gordura para se manter.

O metabolismo desacelera com a idade.
SIM
. A partir dos 30 anos, o ritmo metabólico diminui (média de 5% a cada década). Essa redução, que é maior nas mulheres que nos homens, decorre da perda de massa muscular, natural da idade.

Vida Saudável

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Resultado do Sorteio




Parabénssssss Gê!!! http://fofinhachega.blogspot.com/
Você acaba de ganhar um pote 100g de Farinha de Feijão Branco Tiaraju

Meninas(0s) quando tivermos 200 seguidores acontecerá novo sorteio!!!

Beijos e até próxima!

Hoje é dia de Sorteio!!

Já está participando do sorteio da Farinha de Feijão Branco ?
O Resultado sairá hoje às 12:00h

Regras:

1- Ser Seguirdor(a) do Blog
2-Deixar comentário com seu nome, e-mail e cidade dizendo que quer participar do sorteio.
3- Morar no Brasil ( desculpem minhas amigas de fora)

Participantes inscritos:

1-Cristiane Kunzler da Silv.
2-Gabriella Nogueira da Silva
3-Priscila Vicente
4- Tarita Amendola
5-Adriana de Carvalho
6-Camila martins santiago
7-Déia Rabelo.
8-Rosimeyre de Oliveira
9-Dayanne Sales
10-ANA DOMANSKI
11-Lizandra Menezes
12-Roberta Fischer Ribeiro
13-Jaqueline Danielle Bueno
14-Flávia Natielli
15-Mariana Serezani
16-Mirelle Hugo
17-Francys Lara
18-Roseli Ferreira
19-Camila Flávia Franco Brandão
20-Caroline Faria Silva
21-Karina Albuquerque
22-Daniele Cristina S Martins
23-Valquíria Duarte
24-Luciana Pinheiro
25-Geovana Centeno
26-Aline Marin
27-Nome: Rosiana Macari
28-Emiliane Torres
29-Mágnor Ronieri
30-Luciana Ferreira
31- Aninha

32-Roberta Deitos

33-Talitha Rodrigues de Souza
34-Sônia Costa
35-Paula Moulin
36-Karine Paim
37-Mirian Faria
38-Camilla Machado
39-Viviane Silvestre Ferreira
40-Tamy Souza
41- Danielle
42-Lidiane Domingues
43-Tatiane Schmidt
44-Aline pereira da silva
45-Ellis Dias
46-Daiane Vitt
47-Ju Gaúcha
48-Ana Luisa Nolde
49-Fabiane Bicalho

50-Jaqueline Silva
51-ELIZABETE FERREIRA DE ALMEIDA
52-Ge
53- Gislaine
54- Daniela Neis
55-Sidinéia
56-Charlene

57-ROSANGELA DE SOROCABA

58-Patty de dieta
59-Ana Carolina
60-
Adriana de Carvalho


Boa sorte e até logo mais!

domingo, 22 de agosto de 2010

Vamos caminhar ou correr ?

Sim, essa pessoa super ultra mega hiper feliz correndo sou eu, na Family Run na Maratona do Rio de Janeiro em 18/07/10.

Para quem estiver afim de experimentar essa sensação maravilhosa de participar de um circuito de corrida - ENDORFINA na veia, segue abaixo alguns circuitos que acontecerão nos próximos dias em Porto Alegre-RS, quero participar de todos!

29/08 - Circuito das Estações Adidas: http://o2porminuto.uol.com.br/circuitodasestacoes/

12/09- Corrida da Longevidade Bradesco: http://www.corridadalongevidade.com.br/

19/09- DJ Run: http://www.djrun.com.br/

25/09-Poa NIght Run: http://www.poanightrun.com.br/

O prazer da endorfina

Você já deve ter ouvido que praticar um esporte como a corrida pode ajudar na melhora física e mental. Já deve ter ouvido também que a atividade física dá aquela sensação de bem-estar logo após a sua prática. Isso tudo tem explicação científica. Trata-se da endorfina.

O termo endorfina se origina das palavras endo (interno) e morfina (analgésico), e trata-se de um neuro-hormônio endógeno (produzido pelo próprio corpo), da glândula hipófise. A endorfina traz vários benefícios para o nosso corpo, como aumento de disposição, melhora no sistema imunológico e alívio de dores.

“A endorfina é o que chamamos de neurotrasmissor, ou seja, é uma substância produzida pelo cérebro através do estímulo de exercícios físicos aeróbios, que modula dor e estresse. Regula a utilização de carboidratos como forma de energia, estimulando a queima de gordura corporal como forma de energia”, explica Páblius Staduto Braga da Silva, médico do esporte do Hospital 9 de Julho, que completa.

“Sua liberação através do esporte propicia o aumento da disposição física e mental, dá a sensação de bem-estar, alivia as dores, melhora a resistência física e a tolerância ao esforço fisico, melhora o humor etc”.

A corrida e a endorfina
Por mais cansativo e doloroso que tenha sido o treinamento, ou até mesmo a prova, é comum que os corredores, logo após terminarem o exercício, sintam uma sensação de satisfação, de alegria. Isso também se explica cientificamente.

Um estudo recente da Universidade de Bohn, na Alemanha, analisou o cérebro de 10 corredores antes e depois de uma corrida de duas horas de duração. Imagens captadas da região mostraram áreas ligadas à emoção que foram ativadas por causa da liberação da endorfina. Os participantes da pesquisa relataram ainda que, após o término da atividade, sentiram um aumento de euforia e de bem-estar.

“A corrida ajuda sim na liberação de endorfina, principalmente por ser uma atividade aeróbia, ou seja, de média intensidade e de longa duração. Após 30 minutos de atividade o corpo começa a liberar este hormônio, que está ligado à sensação de prazer por causa da ação cerebral.”, comenta Staduto.

A endorfina vicia?
Depois que começam a correr, muitos atletas dizem que não conseguem mais parar. E ainda vão além, se dizem “viciados” pela atividade. Isso é natural, já que uma vez que o organismo se acostuma com as boas sensações geradas, isso gera uma espécie de dependência, ou seja, o corpo sente falta das substâncias liberadas pelo exercício, como a própria endorfina.

“A prática de atividades promove a liberação dessa substância, que é uma espécie de ´droga natural´. Por ser produzida pelo próprio organismo, a endorfina é benéfica e funciona como um anestésico natural, que diminui a dor após uma determinada carga de exercícios”, afirma Maurício Pires de Albuquerque, psicólogo clínico e esportivo e professor de Psicologia Esportiva do IEFD/UERJ.

“De certa forma, podemos dizer que a endorfina é viciante sim, já que a falta do exercício físico por alguns dias, quando se está em um treinamento, pode levar à sensação de desconforto, mau-humor e cansaço. Prontamente as boas sensações retornam após reiniciar o programa de treinamento. É o ´sentir falta do exercício´”, completa Staduto.

Revista O2

sábado, 21 de agosto de 2010

Vamos correr por uma vida saudável ?

Um estilo de vida saudável, que inclui alimentação e a prática de exercícios, é capaz de prevenir doenças e retardar o que os médicos chamam de “relógio biológico” do envelhecimento. Hoje, mais do que nunca, atividade física faz parte de qualquer tipo de prescrição médica voltada a qualquer idade. Mas os médicos vão além. É consenso entre eles que o que você faz hoje (principalmente a partir dos 30 anos) resultará em uma velhice com mais ou menos qualidade de vida.


A partir da terceira década para as mulheres e da quarta, para os homens, começa o processo de degeneração das células. Por isso, as pessoas precisam fazer atividade física para chegar à terceira idade saudáveis. Eu sempre digo aos meus alunos que a atividade física deve ser vista como dormir, se alimentar, tomar banho, enfim, isso tem que ser incorporado em nosso dia a dia como qualquer hábito.

Atualmente, a modalidade que mais vem crescendo como prática de atividade física, é a corrida, e esta modalidade vem tendo apoio de todos os lados, principalmente do Estado de São Paulo que aos finais de semana fecha avenidas para que todos possam ter acesso fácil a corrida, geralmente as avenidas que estão sendo fechadas ou esta sendo separado um espaço para a corrida, leva para parques, o que ajuda ainda mais você a deixar seu carro na garagem e sair pela cidade correndo.

Como começar a correr?
Se você tem a intenção de começar a correr, ótimo! Se você já corre, melhor ainda! Esta é uma excelente atividade física, desde que seja feita com orientação de um professor de Educação Física, para fazer a atividade corretamente, garantindo benefícios com segurança para a sua saúde e eficiência de resultados .
Antes de iniciar qualquer atividade física, devemos nos certificar que tudo está sob controle, que seu corpo está em boas condições para receber novos estímulos e se ele vai receber e aceitar positivamente esses novos estímulos. Por isso a grande e importante responsabilidade de fazer uma Avaliação Física e Médica.
Para que haja ganhos, é preciso correr uma distância ou tempo suficiente para se estimular as adaptações fisiológicas, mas sem exagerar a ponto de ocasionar lesões. Trinta minutos é um tempo bom, mas o ideal é uma hora. Porém, quem é iniciante deve respeitar seus limites e intercalar a caminhada com a corrida, evoluindo aos poucos. Se há disciplina nos treinos, com certeza logo logo seu organismo começa a se acostumar com o estímulo dado. Então a corrida contínua chega com certeza.
Alternar com exercícios de força e flexibilidade também é uma ótima opção para quem não pode correr todos os dias, até porque para correr o corpo tem que estar preparado, os músculos devem ser fortes e as articulações resistentes e com um movimento amplo, por isso a importância do fortalecimento muscular (musculação) e o alongamento.
Uma boa postura para correr é muito importante. Corra sempre mantendo seu corpo ereto, cotovelos fletidos em aproximadamente 90 graus ao lado do corpo e mãos relaxadas com palma para baixo. Balance os braços sempre contrários aos movimentos das pernas a cada passada.
Devo ressaltar a importância de trabalhar com o controle dos batimentos cardíacos, ou seja, sua Zona Alvo de Treinamento. Isso vale para quem busca melhora da performance e também perda de peso. Quando uma pessoa corre dentro da faixa de 70% a 85% da frequência cardíaca máxima, ela obtém todos os benefícios para o corpo de forma segura e eficiente. Um iniciante, apenas com a caminhada vai conseguir chegar a estes batimentos, mas, com o tempo ele precisará correr em um ritmo cada vez mais intenso para alcançá-lo pois seu coração vai ficando cada vez mais forte. Para este tipo de monitoramento o ideal é ter um frequencímetro para acompanhar os batimentos cardíacos (Ex: Polar), mas em caso de não poder adquirí-lo, poderá usar a medição manual que é passível de erros, mais dá para ter uma idéia e também pode utilizar a percepção de esforço, onde deve perceber se a intensidade é confortável, moderada, forte ou exaustiva e a partir daí controlar sua evolução no treino.
Antes de cada sessão de treinamento, realize um aquecimento (trote) e um alongamento rápido. Após o treinamento, faça uma volta à calma caminhando por aproximadamente 5 minutos e em seguida uma outra sessão de alongamento, desta vez mais concentrado, procurando manter cada posição aproximadamente 20 segundos.
Não faça os treinos fortes por muitos dias seguidos. Guarde ao menos um dia de intervalo entre as sessões semanais.
Se for participar de alguma competição, diminua a intensidade do treinamento com sobrecarga pelo menos uma semana antes. Não faça sobrecarga na semana anterior à prova para evitar fadigas durante a prova. O chamado overtraining (excesso de treino).

Descanso
Como em todas as atividades e para uma vida saudável, o descanso também é um fator muito importante para se obter os benefícios fisiológicos. Descanso é dormir, e não ficar sentado vendo televisão. Depois de um treino, a condição física piora, a imunidade diminui e os músculos sofrem pequenas lesões. Quando dormimos, ocorre a recuperação de todo o organismo.

Dicas Importantes
Use um tênis adequado ao esporte e ao seu tipo de pisada. Controle a alimentação, ingerindo alimentos com baixo valor calórico, evitando açúcar e gorduras. Tenha sempre o acompanhamento de bons profissionais. Experimente correr com grupos de treinamento de corrida. O estímulo, sem dúvida, é muito maior. Corra com regularidade e torne o esporte um hábito em sua vida. Melhore suas marcas. Aumente o seu limiar aeróbio. Aumente a força muscular, pois o treinamento de resistência potencializa cada músculo exigido na corrida. Treine musculação pelo menos três vezes por semana. Faça um trabalho de fortalecimento, principalmente, dos tornozelos, panturrilhas e músculos que reforçam os joelhos. Não tenha pressa para aumentar distâncias ou a velocidade de corrida, deixe que isso aconteça gradativamente. Faça incrementos de carga suaves e gradativos. Sempre que possível corra de manhã, pois se você deixar para correr no final do dia, poderá estar atrapalhado com seus afazeres ou estar muito cansado das atividades que fez. Corra de preferência na mesma hora, acostumando assim o organismo à atividade. Desta forma, quando você não correr, sentirá falta.


Corpo em Foco

Ahhh não se esqueça, segunda-feira acontecerá o sorteio, ja está participando ?

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

ANSIEDADE - 7 Alimentos para combatê-la

Você anda nervoso(a)? Sem paciência com as pessoas? Será que a sua alimentação não anda influenciando o seu estado emocional? Certamente, sim. Existem alguns alimentos que ajudam a combater aquela sensação constante de ansiedade e estresse. Confira alguns deles!

Alface: Esta é uma ótima opção para aliviar os sintomas de irritação. Mas, invista no talo! Ele contém lactucina, substância que funciona como calmante.

Banana: Contém grande quantidade de potássio, carboidrato, magnésio e biotina, que estimula o sono e te ajudarão a dormir as oito horas que são necessárias para descansar de verdade!

Espinafre: Contém potássio e ácido fólico, que previnem a depressão. Sem contar que também influencia na normalização do sistema nervoso.

Frutos do mar: Por serem ricos em zinco e selênio, agem no cérebro, diminuindo o cansaço e a ansiedade. Também são boas fontes de proteína e gordura saudável (Omega 3), essencial para o bom funcionamento do coração.

Laranja: Ajuda o sistema nervoso a trabalhar adequadamente, já que é rica em vitamina C, cálcio e vitaminas do complexo B. O suco é sua melhor opção de consumo!

Mel: Influencia a produção de serotonina, neurotransmissor que está intimamente ligado às mudanças de humor.

Tomate: Por ter grande quantidade de vitamina B6 e vitamina C, ajuda a combater a irritação. sem contar que é barato e de consumo muito prático.

suadieta.uol.com.br

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Conheça os benefícios das farinhas de frutas, alimentos ricos em fibras

Elas protegem as artérias, reforçam as defesas do organismo, ajudam a prevenir o diabetes e auxiliam no emagrecimento

Elas passam quase despercebidas, mas são tão importantes quanto as proteínas, os carboidratos e as gorduras na dieta. As fibras, encontradas em cereais, legumes, hortaliças e frutas, mantêm o equilíbrio da flora intestinal, protegem contra câncer, reduzem o colesterol e a glicose. E agora há uma maneira mais fácil e saborosa de consumi-las, nas farinhas de casca de maracujá, de banana verde, de laranja e de uva vermelha. Além de melhorar a saúde, elas ajudam a emagrecer sem remédio.

O consumo médio diário de fibras recomendado é de 25g e, nesse total, tem espaço para as farinhas. Elas vão bem com saladas de frutas, verduras, sucos, nas sopas, ou em receitas de bolos, biscoitos, tortas, massas de panquecas e mingaus substituindo a farinha de trigo, ensina a nutricionista Isabel Jereissati, do Núcleo Integrado de Atenção à Saúde da Mulher da Santa Casa de Misericórdia do Rio.

— As farinhas de frutas são ótimas para os intestinos, que também produzem células do sistema imune. E quando eles funcionam bem, nossas defesas se reforçam — diz.

A de casca de maracujá, por exemplo, é rica em pectina, fibra boa para o controle do diabetes, e que forma um gel que reduz a absorção de gordura no intestino, protegendo as artérias e o coração. E melhor, aumenta a saciedade e ajuda no emagrecimento. A de uva vermelha contém resveratrol (encontrado principalmente nas sementes, na película e no vinho), antioxidante que previne entupimento de vasos ao estimular a produção, pelo fígado, de HDL (colesterol bom) e reduzindo o LDL (o ruim). Sem falar que as farinhas evitam prisão de ventre.

AGÊNCIA O GLOBO

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Prepare-se, o Verão vem Aí! Como fazer do exercício físico um hábito


Você escova os dentes todos os dias, não? Faz ao menos três a seis refeições diariamente, todas com nomes diferentes, certo? E o que dizer dos programas de TV: segunda uma série, terça um documentário, quarta o jogo, e por aí vai. Então, por que você não tem um lugar na agenda para os exercícios? Aliás, para que agenda? Você precisa incorporar os exercícios no seu dia a dia. Então vamos lá, comecemos por quatro dicas básicas.

1. Tenha um objetivo
O que você quer dos exercícios? As respostas podem ser variadas: perder peso, ter mais músculos, mais força, ser mais rápida. Fazer exercício é algo que tem vários significados. Assim que você achar esse significado e se propuser um objetivo, tudo fica (um pouco) mais fácil.

2. Tenha metas
Você quer chegar ao Natal mais magra? Ok, então o Natal de qual ano?
As metas têm de ser reais. Não adianta querer emagrecer meia centena de quilos em um mês. Mas até o Natal deste ano é possível perder meia dúzia desses quilinhos a mais. Viu só: uma meta.
Ah! Você quer correr uma minimaratona de 21 quilômetros? Então vamos lá, qual a distância que você consegue correr hoje? Em quanto tempo você faz? Achou os números iniciais? Agora é pensar quais os números finais.

3. Faça um plano
Que tipo de exercícios você gosta? Hora de escolher. Se você quer perder peso e odeia academias (ou então simplesmente não suporta as músicas), talvez uma boa pedida seja nadar. Sente muito frio? Tente squash.
Definir o que fazer é a primeira parte do plano. “Onde”, “como” e “quando” também são importantes. E quem vai ajudá-la a montar esse plano: um educador físico amigo seu, um personal trainer ou o monitor da academia? Com o plano nas mãos você bate suas metas mais rapidamente e, consequentemente, atinge seus objetivos.

4. Siga o plano
Quando é dia de fazer exercícios é dia de fazer exercícios. Se seu corpo não quer ir, mas a mente sim, arraste-se até os exercícios, faça algo de menor intensidade, mas não deixe de ir. Quando é o inverso, ligue a música e mantenha a cabeça ocupada: um audiolivro ou uma “música-chiclete” quebram o galho. (Leia mais aqui)
Inventar desculpas é um hábito que deve ser evitado. Você inventa desculpas para faltar a cinco dias de trabalho? Então não deveria fazer algo assim para fugir do treino. Claro que você pode optar por não fazer exercícios: mas aí tenha a convicção de que foi uma escolha.

Treine com alguém que já tenha o hábito
Não adianta juntar uma turma que nunca fez exercícios. Quando a primeira sair todas se sentem desmotivadas. Então, o ideal é o inverso: procurar fazer exercícios com alguém que já tenha o hábito. Assim você sempre vai se sentir desafiada para cumprir suas metas. Além disso, você vai pensar menos em faltar ou então vai parar de inventar desculpas.
• Escolha a parte da manhã para se exercitar
Afinal, é o horário que você ainda não está desmotivada por causa do trabalho ou pelos problemas no trânsito. Comece o dia com exercícios, tome um bom café da manhã (leia mais aqui sobre a importância disso) e depois comece a resolver os outros problemas.
• Seja confiante
Ter um objetivo claro e preencher um plano de metas ajuda você nesse ponto. E quando começar a ver os resultados você dificilmente irá interromper o hábito.


www.trackandfield.com.br

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Compulsão por doces - saiba como controlar

O desejo de comer doces é sinal de que seu organismo está com queda de açúcar no sangue, veja como manter o equilíbrio e quebrar o ciclo vicioso do doce.
Você já se pegou a noite com uma vontade enorme de comer um doce, pão, massa ou chocolate? Pois é, essa vontade aparece normalmente no fim da tarde devido ao desequilibrio do nível de açúcar no sangue gerado durante o dia.
O desejo de comer doces é sinal de que seu organismo está com queda de açúcar no sangue (hipoglicemia), que faz com que o desejo por doce fique ainda maior. O organismo torna-se vítima de um efeito gangorra, no qual os níveis de açúcar no sangue sobem e descem desequilibradamente.
O açúcar e a farinha refinada por exemplo, provocam aumento rápido da glicose, em consequência disso provoca uma queda rápida também. Isso faz crescer a vontade de ingerir mais esses alimentos gerando uma compulsividade alimentar. É por isso que, se você começar a comer um doce, ou um pão branco, ou um chocolate, acaba querendo mais depois.
Existem alguns micronutrientes que auxiliam na captação da glicose através da potencialização da insulina, por exemplo, o cromo. O consumo exagerado de alimentos refinados (principalmente a farinha de trigo branca e o açúcar refinado) causa depleção desse mineral no organismo, que faz gerar mais vontade de consumir esses alimentos, desencadeando um ciclo vicioso.
Mais de 80% do cromo presente naturalmente nos alimentos é eliminado com o processo de refinamento. Portanto, a mehor maneira de cortar a dependência química do açúcar é tentar evitar ao máximo o consumo de pães brancos, doces, massas, chocolates. Prefira inhame, batata doce, abóbora, pães integrais, doces light (menor quantidade de açúcar), massas com farinha integral e chocolates com maior porcentagem de cacau ou meio amargo.
Além do cromo, outros micronutrientes importantes que atuam no metabolismo da glicose e na saciedade são: magnésio e manganês.

Alguns alimentos fontes:
Cromo: fígado, ostra, ovos, levedo de cerveja, brócolis, feijão verde, laranja, carne vermelha, peito de peru, banana, maçã;
Magnésio: castanhas, soja, leite, cereais integrais, abacate, banana, folha de beterraba, tofu, caju, tomate, salmão, espinafre, aveia, arroz integral;
Manganês: grãos integrais, leguminosas, nozes, chás, damasco, aveia, soja, agrião, pêssego, amêndoa, feijão;
É importante nutrir o corpo com alimentos integrais, variados e repletos de nutrientes para equilibrar a glicose, retardar a fome evitando assim a compulsão.
Ativo.com


segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Sorteio: Pote Farinha de Feijão Branco da Tiaraju

NÃO ESQUEÇAM DAS REGRAS !!!

Quer ganhar um pote de 100g de Farinha de Feijão Branco auxiliar sua Reeducação Alimentar ???
Regras:

1- Ser Seguirdor(a) do Blog
2-Deixar comentário com seu nome, e-mail e cidade dizendo que quer participar do sorteio.
3- Morar no Brasil ( desculpem minhas amigas de fora)

O Sorteio acontecerá dia 23/08/10

Benefícios do Feijão Branco:

Farinha de feijão branco aumenta a saciedade, mas consumo deve ser moderado

Rico em fibras e proteínas, ele é um aliado da sua dieta

As propriedades do feijão branco colocaram este alimento na lista dos mais procurados por quem quer perder peso ou enfrenta uma dieta restritiva. Mas porque esse alimento ganhou fama tão repentina? Sua farinha promete favorecer o emagrecimento e a redução dos níveis de açúcar no sangue. "A responsável é a proteína presente nesse feijão, a faseolamina, que inibe a absorção de glicose (amido) pelo organismo, sendo importante para o controle do diabetes", explica a nutricionista Renata Ramos, da Universidade Unisinos.

Entretanto, por ser uma proteína, a faseolamina é desnaturada quando cozida. Sendo assim, para aproveitar ao máximo os benefícios desse alimento, a melhor maneira de consumi-lo é na forma de farinha. Para obter essa consistência, após lavar e secar o feijão, bata-o no liquidificador, peneire e conserve em geladeira.

Emagrece mesmo?

Os benefícios da farinha de feijão branco para a dieta estão relacionados, principalmente a quantidade de fibras que carrega. "As fibras são parte essencial do bom funcionamento do intestino e ajudam a dar uma maior sensação de saciedade, importante para o emagrecimento", explica a nutricionista da Unisinos, no Rio Grande do Sul. Além da farinha, Renata defende o consumo de todos os tipos de feijões, pois são ricos em fibras. "O feijão é uma das principais fontes de fibras encontrada no cardápio da dieta popular do brasileiro". "Considero o feijão melhor do que a soja, pois, apesar de não possuir as isoflavonas, ele é mais versátil e já caiu no gosto do brasileiro".

Ela tem o poder de inibir enzimas responsáveis pela disgestão e absorçãode carboidratos (como pães, massas, batatas, arroz, doces e etc.) Ajuda a reduzir as taxas de glicose permitindo que a fome fique sob controle. Com menos fome, seu organismo vai buscar energia nos estoques de gordura do abdômen. para completar, ela também regulariza o trânsito intestinal, ajudando e mandar embora os excessos consumidos.

Minha Vida
Revista Emagreça Já

domingo, 15 de agosto de 2010

Dica do Dia: Laden Perfumes Importados


A Laden é um portal de vendas de perfumes importados, com preços em reais para o bolso de todos os brasileiros, em especial as cheirosas brasileiras. Onde disponibiliza perfumes originais a serem adquiridos com toda a segurança, agilidade e comodidade na entrega.

Acesse www.laden.com.br e confira ! Em breve estaremos disponibilizando cupons de desconto junto a Rosângela para que você possa adquirir seus perfumes na Laden.


Conheçam o site, vocês vão adorar: www.laden.com.br

Fica a dica!


sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Chega de desculpa! Vamos nos exercitar ?? Exercícios que vão mudar seu corpo

Garota fazendo tríceps mergulho

Experts elegem os exercícios mais eficientes

1. Inicial
Já passou pela sua cabeça que você pode não estar fazendo os melhores movimentos para turbinar as curvas? Foi exatamente pensando nisso que BOA FORMA decidiu ouvir vários profissionais de educação física durante a 19ª edição da Fitness Brasil, a convenção mais importante do setor no país. Foram eles que elegeram os top 5, os exercícios mais eficientes de todos os tempos para modelar as partes do corpo que a gente mais quer: bumbum, barriga, tríceps, parte interna das coxas e culote. A receita está nas suas mãos. Não perca tempo!

Monte o seu programa
Dá para elaborar uma aula com todos os exercícios ou apostar no que mais precisa. O importante é não repetir em dias seguidos, porque a musculatura tem que descansar. E não esqueça: para secar a gordura que pode encobrir os músculos, faça uma atividade aeróbica (uma hora, quatro vezes por semana) e não exagere na comida. Os movimentos são eficientes se feitos só com o peso do próprio corpo. Quando ficarem fáceis, use caneleiras para intensificá-los.

Iniciante: 1 kg
Intermediária: de 2 a 3 kg
Avançada: 4 kg ou mais
2. Braços desenhados
Tríceps mergulho: músculos firmes e tchauzinho sem medo

Como fazer
Sentada no step ou em um degrau, apoie as mãos ao lado dos quadris. Projete os quadris para a frente. Mantenha apenas o calcanhar direito no chão e eleve a perna esquerda estendida, com a ponta do pé para cima. Deixe as costas retas e a cabeça alinhada com o tronco. Olhe para a frente. Flexione os cotovelos, levando o bumbum em direção ao chão, e volte. Faça três séries de 15 a 20x (estenda uma perna a cada série).

Acerte no alvo
A instabilidade é o segredo nesse exercício. "Ao apoiar apenas o calcanhar e tirar uma perna do chão, você desestabiliza o corpo durante o movimento, obrigando o tríceps a se contrair mais para manter a postura", fala o professor Disnei Sanches, de São Paulo. Sem contar que o exercício ainda faz com que você acione o core (musculatura abdominal e de parte das costas, da linha do sutiã à da calcinha) para auxiliar no equilíbrio - o que, de quebra, ajuda a chapar a barriga.
Abdominal infra
3. Barriga chapada
Abdominal infra: a parte de baixo do seu abdômen vai virar uma tábua!

Como fazer
Deitada, eleve as pernas estendidas com a sola dos pés paralela ao teto. Eleve os braços estendidos para trás, deixando-os rente às orelhas. Tire a cabeça do chão e realize movimentos alternados subindo e descendo as pernas e os braços. É importante deixá-los estendidos durante todo o exercício. Faça três séries de 15 a 20x.

Acerte no alvo
O pulo da gata é tirar a cabeça do chão, levando o queixo em direção ao peito. "Com isso, automaticamente você empurra a costela para dentro e prioriza a parte de baixo do abdômen durante o movimento", diz o professor Almeris Armiliato, de São Paulo. "É imprescindível sentir o músculo que está sendo exigido, o que ajuda a isolá-lo e a intensificar a malhação", completa. O legal desse exercício é que a parte de cima do abdômen também é trabalhada durante a execução, mas em isometria.
Agachamento afundo
4. Bumbum durinho
Agachamento afundo: para deixar a região campeã dos olhares masculinos com tudo em cima

Como fazer
Em pé, com as mãos apoiadas na cintura, as costas retas e o abdômen contraído, coloque o pé esquerdo no centro do step ou degrau, mantendo a perna semiflexionada. A perna direita fica estendida atrás, com a ponta do pé apoiada no chão. Agache descendo o tronco devagar, até os joelhos formarem um ângulo de 90 graus em relação às coxas. O joelho da frente não ultrapassa a linha da ponta do pé e o direito chega próximo ao chão. Levante estendendo as pernas e contraindo bem o glúteo da perna de apoio e repita o movimento. Realize todas as repetições com uma perna e depois com a outra. Faça três séries de 15 a 20x de cada lado.

Acerte no alvo
O afundo isola quase todos os músculos que compõem o bumbum e também o quadríceps, o que dá uma força e tanto na hora de esculpi-los. Mas a grande sacada é colocar o pé da frente em uma plataforma mais alta que 20 centímetros - pode ser um step ou um degrau. "Ao mudar o ângulo do exercício, você aumenta a intensidade e tem que contrair mais os glúteos, pois precisa fazer bastante força para subir e descer o tronco", explica o professor Rhony Ferreira, de Curitiba. Se o movimento ficar fácil, coloque caneleiras na cintura.
elevação perna
5. Zero de culote
Elevação de perna: sem sobrinhas na lateral

Como fazer
Deitada de lado, estenda o braço que está embaixo e apoie a cabeça sobre ele. Deixe uma perna estendida sobre a outra. O corpo deve ficar em linha reta da cabeça aos pés. Flexione o braço esquerdo e apoie a mão à frente do corpo. Leve a perna esquerda à frente estendida, com o pé flexionado (paralelo ao corpo). Eleve a perna e volte. Faça três séries de 15 a 20x de cada lado.

Acerte no alvo
Por que esse exercício é tiro e queda para modelar a parte externa da coxa? "A extensão da perna à frente com o pé flexionado aumenta a amplitude do movimento, obrigando essa musculatura da coxa a se esforçar mais. Além do que com a perna de baixo estendida você também exige mais da lateral do glúteo para estabilizar o corpo", garante a professora Vânia Temporini, de São Paulo. Ou seja: os dois posicionamentos são tudo de bom para detonar o culote.
Afastamento lateral
6. Pernas definidas
Afastamento lateral: parte interna das coxas dura feito pedra

Como fazer
Deitada, com as costas e a cabeça bem apoiadas no chão, deixe os braços estendidos ao lado do corpo, com a palma das mãos para baixo. Olhe para cima. Estenda as pernas para o alto, mantendo a sola dos pés paralela ao teto. Abra e feche as pernas, sem encostá-las. Não deixe os joelhos travados. Faça três séries de 15 a 20x.

Acerte no alvo
Manter as pernas em um ângulo de 90 graus em relação ao tronco durante todo o exercício é o grande diferencial desse movimento. "Você alivia o esforço da lombar e faz com que toda a força fique concentrada no interno da coxa, priorizando a ação dessa musculatura", revela o professor Neto Amorim, de Salvador. Outro truque é deixar a sola dos pés sempre paralela ao teto, o que aciona os quadríceps, dando uma força para modelar também a parte da frente das coxas.
Revista Boa Forma