quarta-feira, 29 de julho de 2009

15 hábitos para viver mais e melhor


Esta pesquisa, publicada no British Medical Journal, é o resultado de um estudo americano da Escola de Medicina de Harvard, que avaliou 77 872 mulheres entre 24 e 59 anos por mais de duas décadas. Mas as dicas, elaboradas a partir das conclusões a que chegou o estudo, podem ser seguidas por homens e mulheres. Colocar em prática essas atitudes é programar um futuro com mais saúde.

Respeite seu corpo: cansaço e estresse podem custar caro à sua saúde. Nos tempos atuais, de rotinas agitadas, é difícil manter o equilíbrio. Mas é preciso lutar por ele.

Pratique exercícios: a atividade física faz seu corpo trabalhar melhor, previne doenças e ainda alivia o estresse. Mas, para garantir benefícios à saúde, é preciso regularidade. Não adianta malhar às vésperas do verão para entrar no biquíni e depois se render ao sofá.

Desarme o estresse: aprenda a eleger tarefas e estabelecer prioridades em vez de carregar o mundo nas costas. Estresse causa doenças do coração e outros distúrbios.

Escove os dentes: para garantir um sorriso bonito daqui a algumas décadas é fundamental prevenir cáries e doenças nas gengivas.

Fique em silêncio: encontre um tempo para você olhar para dentro. A quietude interior traz autoconhecimento, a introspecção alivia a ansiedade.

Alimente-se bem:
aposte em frutas, verduras, grãos integrais e beba muita água.

Preserve o sono: dormir mal afeta o humor, o raciocínio e a tomada de decisões.

Controle o peso: o excesso de gordura pode desencadear mais de 30 doenças, como diabetes, hipertensão, colesterol alto, deficiências respiratórias etc.

Apague o cigarro: câncer, distúrbios do coração e doenças pulmonares lideram a lista das mais de 50 doenças associadas ao tabaco.

Cultive bons sentimentos: seja generoso, solidário, tenha compaixão. Ter bons pensamentos, sentimentos e atitudes faz bem aos outros e a nós mesmos.

Faça check-ups regularmente: ao monitorar como anda sua saúde você pode atacar o problema logo no início.

Se espreguiçe: ao invés de saltar correndo da cama, dê tempo para os músculos "acordarem". Alongue-se.

Use protetor solar: os raios ultravioletas envelhecem a pele, aumentam a flacidez e ainda há o risco de câncer. Proteger-se é fundamental.

Fracione a dieta: comer pequenas porções cinco ou seis vezes ao dia, em vez de fazer refeições abundantes, contribui para a digestão e o melhor aproveitamento dos nutrientes.

Tenha amigos: quem conta com um ombro para desabafar vive mais, adoece menos e escapa da depressão, segundo um estudo de cientistas da National Geographic Society e da Universidade de Minnesota, ambas nos Estados Unidos. Ao lado da alimentação saudável e da atividade física, o lazer e as relações sociais são determinantes para prolongar a vida.

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Celulite? Aqui, não!


Uma simples salada de frutas e mesmo a granola nossa de todo dia podem deixar o bumbum e as coxas mais lisinhas. Tudo porque esses alimentos são ricos em vitaminas B6, C e selênio. “Eles ajudam a melhorar o sistema linfático, reduzir o inchaço e combater os radicais livres, que oxidam as estruturas da pele, contribuindo para o aspecto de casca de laranja”, diz a nutricionista Adriana Kobayashi, da Equilibrium Consultoria em Nutrição, em São Paulo. Para acelerar os resultados, invista ainda em aveia, feijão e vegetais verde-escuros. Por conterem silício e boro, estimulam a circulação e mantêm alinhadas as fibras elásticas, deixando a pele mais esticada e os furinhos menos visíveis.

domingo, 19 de julho de 2009

Trocar pão por biscoitos de água e sal é um erro comum de quem quer perder peso


Pães são mais calóricos, mas também mais saudáveis

Trocar pão por biscoito água e sal ou cream cracker é um erro cometido por quem quer perder peso, segundo nutricionistas e o teste realizado pela Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Pro Teste). Apesar de mais calóricos, pães (francês ou de forma) são mais saudáveis e engordam menos do que cinco biscoitos.


A nutricionista Gisele Magalhães explica que vários fatores contam para o ganho de peso – entre eles, fibras e gordura.

– Além de benéficas para o intestino, fibras diminuem absorção de gordura.

Nos pães, há mais fibras e menos gordura, embora o número de calorias seja maior. Outra vantagem dos pães: a sensação de saciedade é maior do que a experimentada com a mesma quantidade de biscoitos.

A pesquisa avaliou 15 marcas de biscoitos. Uma delas, da Mabel, tinha alto teor de gordura trans, considerada vilã entre nutricionistas. Segundo a nutricionista da Pro Teste, Manuela Dias, seis biscoitos (cerca de 30 gramas) do tipo água e sal têm 1,2 grama de gordura trans. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que o consumo dessa gordura não seja superior a dois gramas por dia.

– É difícil evitar a gordura trans hoje. E, se em apenas seis biscoitos, consome-se mais da metade, o risco de ultrapassar os dois gramas é muito alto.A Mabel não respondeu aos pedidos de informações sobre a pesquisa da Pro Teste.

Segundo Manuela, o tipo água e sal da Adria tinha cerca de 12% da quantidade máxima de sal recomendada (quatro gramas). No biscoito da marca Tostines, o nível chegou a 14%.– O excesso de sal pode levar à hipertensão – alerta.

Em nota, a Nestlé (proprietária da marca Tostines) informou que está reduzindo o teor de sal em seus produtos. A Adria disse seguir o padrão praticado no mercado e que pesquisa formas de tornar seus produtos mais saudáveis.


ZH/VIDA

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Chá Branco ou Verde ??

Há quem acredite que o chá branco emagreça mais do que o chá verde. Extraídas da mesma erva Camellia sinensis, as duas bebidas, no entanto, têm efeito similar na perda de peso. Especialistas afirmam que a grande vantagem do chá branco está em seu forte potencial diurético e antioxidante, que o coloca um passo a frente do chá verde em ganho de qualidade de vida.
Segundo a nutricionista Alessandra Toledo, da rede Mundo Verde,os dois chás contribuem para o emagrecimento por possuírem uma substância termogênica similar à cafeína que ativa o metabolismo, acelerando a queima de calorias. Mas os especialistas alertam que nenhum dos dois faz milagre.
Para que a bebida tenha efeito, são necessárias três xícaras (200ml) por dia. Ainda assim, os chás serão apenas aliados da sua dieta. Exercícios físicos regulares e um cardápio equilibrado são fundamentais para que se perca peso com saúde.
Já a nutricionista Fabiana Schmidt alerta para o perigo do consumo exagerado, especialmente no caso de pessoas com tendência à pressão baixa. "O chá em excesso tem a capacidade de baixar a pressão arterial, provocando sonolência, por exemplo", comenta.
Mais saudável e saboroso
Mas, afinal, por que o chá branco tem sido eleito o "queridinho" de quem quer manter a boa forma? Mais diurético do que o verde, esse chá tem grande capacidade de reduzir o inchaço. "Assim, há uma sensação de perda de peso, quando, na verdade, o organismo apenas eliminou líquidos", conta a nutricionista Fabiana. Além disso, o branco tem um sabor mais adocicado e agradável ao paladar.
A maior vantagem de todas, porém, é seu poder antioxidante. Ao contrário do chá verde, o chá branco é colhido ainda broto, dispensando etapas durante o processamento que eliminam parte dos antioxidantes naturais.
A erva mantém, então, seu alto teor de flavonóides, que auxiliam no combate aos radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento precoce e pelas doenças degenerativas. "O chá branco tem um efeito antioxidante maior do que o chá verde, que sofre uma pequena oxidação quando exposto ao vapor no momento da colheita e preparo", explica Alessandra.
Benefícios compravados:
- Auxilia na digestão;
- É diurético;
- Previne cáries;
- Previne o envelhecimento precoce e doenças degenerativas;
- Previne problemas cardiovasculares;
- Protege a pele dos efeitos nocivos do sol;
- Tem ação termogênica - o que acelera o metabolismo.

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Frase do Dia

''Se você olha para o que você tem na vida, você sempre terá mais. Se você olha para o que você não tem na vida, você nunca terá o suficiente.''

Oprah Winfrey

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Gordura na cintura duplica chances de hipertensão e infarto

Ao mapear o perfil nutricional de alunos e funcionários da UFRJ, pesquisadores do Instituto de Nutrição descobriram que um mal, muitas vezes esquecido, tem grande incidência, sobretudo entre mulheres. Fator de risco para problemas cardíacos, o acúmulo de gordura na cintura foi visto em 16% das mulheres pesquisadas e em 8,6% dos homens.

A pesquisa verificou também peso, estatura, Índice de Massa Corporal (IMC), percentual de gordura, além de hábitos alimentares. De acordo com o cardiologista do Hospital Balbino Rogério Moura, a medida máxima para a cintura é 94cm para homens e 80cm para mulheres. Quando o índice ultrapassa 102 e 88cm, respectivamente, é sinal de alerta. "Isso duplica as chances de hipertensão, infarto e diabetes. É preciso melhorar a alimentação, parar de fumar e praticar exercícios", explica.
Segundo a coordenadora do projeto, Glória Valéria da Veiga, o excesso de peso foi identificado em 29% dos homens e em 18% das mulheres. Por outro lado, nenhum homem estava abaixo do peso, enquanto 12% das mulheres estavam. Resultado semelhante foi encontrado no índice de gordura corporal. Segundo Glória, metade das mulheres apresentou percentual de gordura abaixo da normalidade e 19% dos homens estavam acima. "Quem está abaixo do peso deve aumentar as calorias de forma saudável, priorizando carboidratos (pães e massas). Quem está acima precisa evitar doces, consumir frutas e praticar exercícios", diz, acrescentando que 50% dos voluntários não fazem exercícios.
Cerca de 20% dos entrevistados nunca tomam leite e 51% não comem frutas. Mas 82,6% consomem legumes e verduras. E só 7,2% ingerem sempre fast food.
Males detectados no estudo:
IMC alto
É fator de risco para doenças cardiovasculares, menor qualidade de vida e sobrecarga nas articulações.
IMC baixo
Provoca desnutrição, além de massas muscular e óssea reduzidas e funções mental e cognitiva prejudicadas pela falta de nutrientes.
Pouco leite
Consumo insuficiente da bebida causa falta de cálcio no organismo, o que favorece doenças como osteoporose.
Exercício físico
Índice muito elevado de pesquisados não faz exercício. A falta de atividade física favorece o ganho de gordura e também as doenças cardiovasculares.

O Dia

sexta-feira, 10 de julho de 2009

(Má) Alimentação tem tudo a ver com dor de cabeça

Dor de cabeça é irritante e muita gente é abatida por ela com frequência. Existe uma predisposição genética para ter enxaqueca, mas alguns fatores podem piorar os sintomas. O principal deles é a alimentação.
Especialistas associam à enxaqueca alimentos que contêm o aminoácido tiramina, como vinho tinto, queijo curado, peixe defumado, fígado de galinha, figos e alguns grãos, além do uso de álcool ou de cafeína.
Também entram na lista chocolates, nozes, manteiga de amendoim, frutas (abacate, banana e cítricas), cebolas, produtos lácteos, carnes gordurosas ou que contenham nitrato (toucinho defumado, cachorros-quentes, salame, carnes processadas).
Além desses, podem influenciar na dor de cabeça alimentos que contenham glutamato monossódico (um aditivo encontrado em muitos alimentos), bem como qualquer alimento processado, fermentado, conservado ou amarinhado. Outro fator que contribui para ter dor de cabeça é pular refeições.
Mas é claro que, além da alimentação, à dor de cabeça também podem estar associada a: reações alérgicas, luzes ofuscantes, ruídos fortes, relaxamento após um período de estresse mental ou físico, falta de sono, tabagismo (ativo ou passivo), períodos menstruais, uso de contraceptivos orais (pílulas anticoncepcionais), entre outras condições.
Segundo a Sociedade Brasileira de Cefaléia, não há uma dieta específica para quem tem enxaqueca. A pessoa precisa reconhecer quais os alimentos e outros fatores que desencadeam a dor e sabe que deve evitá-los. Isso varia de pessoa para pessoa.
Fonte: clicrbs.com.br

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Retenção de Líquido II


A retenção excessiva de líquido no nosso organismo provoca a sensação de inchaço e aumento de peso. Pode ter origem em problemas hormonais ou emocionais, mas a principal causa é uma má alimentação, rica em sal, gorduras e enlatados.

Seguem algumas dicas para evitar o vilão da maioria das mulheres:
-Evite o excesso de sal;
-Evite o consumo de bebidas açucaradas;
-Coma muita fruta e legumes, a maçã, a melancia, o morango, a abóbora, a beterraba, a cenoura, o pepino são excelentes escolhas para quem sofre deste problema;
-Beba bastante água e chás;
-A Drenagem linfática ajuda na eliminação de toxinas e líquidos retidos;
-Pratique exercício físico.

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Tireóide e Metabolismo


DISFUNÇÕES DA TIREÓIDE
HIPERTIREOIDISMO E HIPOTIREOIDISMO


A tireóide é uma glândula que rege o funcionamento de todo o corpo. Mas quando os hormônios T3 e T4 são produzidos em maior ou menor quantidade, todos os órgãos sofrem as conseqüencias
As disfunções da tireóide são mais comuns em mulheres a partir de 35 anos
Hipotireoidismo (doença de Hashimoto): faz com que o organismo produza anticorpos contra a própria tireóide, e ela desacelere seu funcionamento, o que pode gerar cansaço, batimentos cardíacos lentos e aumento de peso.
Hipertireoidismo (doença de Graves): é hereditário e se caracteriza por um anticorpo que estimula a produção excessiva de hormônios. Ansiedade, insônia, aumento da freqüência cardíaca e perda de peso são os sintomas mais evidentes.


Alimentos que aceleram o metabolismo:


Água gelada: Beber oito copos de água gelada por dia queima cerca de 200 calorias. Isto porque o organismo gasta energia para elevar a temperatura da água de 5ºC para 37ºC, que é a temperatura corporal interna.
Pimenta vermelha: Acelera o metabolismo em 20%, porque aumenta a circulação e a temperatura do corpo, além de melhorar a digestão. Tem a propriedade de retirar gorduras das artérias.
Gengibre: Aumenta o metabolismo em 20%. Pode ser usado cru, refogado ou em forma de chá. Outra opção é bater no liqüidificador com aipo, laranja, maçã ou qualquer outra fruta.
Ômega 3: Aumenta o metabolismo basal, ou seja, queima calorias. Funciona como antiinflamatório, previne e trata doenças cardiovasculares. Fontes: óleo de prímula, óleos de peixes (como salmão e sardinha) e semente de linhaça.
Chá verde: Reduz a absorção de açúcar no sangue, inibindo a ação da amilase (enzima responsável pela digestão de carboidratos). Diminui a compulsão por carboidratos, acelera o trânsito intestinal e aumenta o metabolismo, ajudando na queima de gorduras.


Outras dicas para manter o metabolismo acelerado:
Fracionar as refeições entre cinco e seis vezes ao dia;
Comer devagar e mastigar bem os alimentos;
Reduzir o consumo de alimentos gordurosos e ricos em açúcar e farinhas refinadas;
Dar preferência aos alimentos ricos em fibras (grãos integrais, legumes, frutas e verduras), pois levam mais tempo para serem digeridos e, por isso, aceleram o metabolismo.


Fonte: O Guia das Curiosas